Em menos de dez dias, Marcos Alves Farias Lopes, 41 anos, foi a quarta vítima assassinada num bosque, no Sítio Cercado. O crime aconteceu ao lado da Rua Padre Francisco Van de Water, próximo à linha de trem que separa o Bairro Novo da Vila Osternack. O homem foi executado com pelo menos três tiros na cabeça, por volta das 21h30 de quarta-feira.

O crime não teve testemunhas. Com medo, moradores ao redor da praça sequer relataram à polícia quantos foram os estampidos de tiros que ouviram. “Não sabemos se é morador próximo, ou o que fazia por aqui. Nenhum familiar, amigo ou conhecido dele apareceu aqui no bosque”, frisou o tenente Faustino, do 13.º Batalhão da Polícia Militar.

Alguns moradores apenas arriscaram dizer que o local não é bem freqüentado, principalmente à noite. “Durante o dia, algumas famílias ainda se arriscam a vir aqui trazer as crianças para brincar. Mas passou das 17h, não dá pra ficar. Por aqui só se reúne gente que não presta”, disse uma moradora.

Crimes

No dia 17 de novembro, o mecânico Vilson Soares dos Santos, 44, e pintor Pedro Marcelo Dolinski, 35, foram degolados no meio da praça do bosque. Vilson morreu no local. Já Pedro foi socorrido pelo Siate e morreu dentro da ambulância.

Dois dias depois, o açougueiro Rafael de Andrade da Costa, 28, foi assassinado ao lado da linha férrea da Travessa Eli Volpato, esquina com a Rua São José dos Pinhais, ao lado do bosque. Ele foi agredido na cabeça com um balde de tinta cheio de cimento.