"Nego Black" e os foragidos
Eder, Bonami e Alexandre
foram recapturados.

As investigações sobre a morte do policial civil Getúlio Camargo, ocorrida em 18 de março, prosseguem. Um dos principais suspeitos de ter cometido o assassinato, Anderson Dorcelino Antunes de Macedo, o "Nego Black", foi interrogado e negou qualquer envolvimento.

Entretanto, ele teria confirmado a participação em outros seis homicídios ocorridos nos últimos meses no Alto Maracanã, em Colombo, de acordo com informações do delegado Rubens Recalcatti. Os assassinatos foram cometidos devido aos roubos que estavam acontecendo no bairro Guaraituba (Colombo) contra os próprios moradores locais. "Esses delitos chamavam a atenção da polícia e isso estava prejudicando os negócios do ?1Nego Black? que tem envolvimento com roubos de carros", explicou o delegado. Os responsáveis pelos assaltos foram executados.

Durante a operação que resultou na prisão de "Nego Black", os investigadores da Delegacia de Furtos e Roubos (DFR) realizaram outras prisões. Dentre elas, as de três foragidos: Eder Carlos Castro dos Santos, 22 anos, que utilizava o nome de Valdecir Gonçalves Macedo, tem contra si três mandados de prisão e antecedentes por tráfico de drogas; Bonami Lauri dos Santos, 27, fugitivo do 3.º DP (Mercês) e Alexandre Lima Mota, 19, foragido da delegacia de Alto Maracanã.

Este último foi preso portando um revólver calibre 38 e tem passagens por furto e roubo. Outras três pessoas assinaram termo circunstanciado por posse de substância tóxica.