Com a mão que usou para embalar o berço de Aparecido Alves da Silva, 52 anos, a aposentada Albina Gonçalves, 73, o matou com uma facada no peito no início da noite de domingo, na casa onde moravam na Rua Hermínio Alves da Silva, Vila Nova, em Piraquara.

Segundo a família da vítima, Aparecido costumava se embriagar e agredir a mãe, que não suportava mais as discussões. Como de costume, todos os domingos Albina e a família se reuniram para fazer churrasco.

Por volta de 18h, pouco depois do término do jogo entre Alemanha e Austrália, pela Copa do Mundo, os parentes começavam a ir embora. Aparecido, o “Cido”, que trabalhava como pedreiro e estava embriagado, teria começado a discutir com a mãe e tentado enforcá-la. “Ele colocou a mão no pescoço dela”, afirmou uma neta.

Carne

Valdemir, irmão de Aparecido, contou que, depois do churrasco, a mãe ainda cortava carne. Quando Aparecido chegou para agredi-la, Albina golpeou o filho com a faca que tinha na mão.

Valdemir não soube apontar o motivo da discussão, mas disse que Albina foi movida por impulso, para se defender. “Não há explicação. As agressões sempre aconteciam quando a bebida tomava conta.”

Quando Valdemir percebeu o que havia acontecido e encontrou o irmão sangrando, correu até a casa da irmã para pedir socorro. Segundo informações da Polícia Militar, o Siate foi acionado, mas quando os socorristas chegaram, Aparecido já havia morrido. Em choque e machucada, Albina foi encaminhada ao hospital pela filha. Valdemir disse, ontem, que está preocupado com a saúde da mãe, que sofre de artrose.

Irmãos

Aparecido tinha 11 irmãos e duas filhas. Há cerca de 20 anos, ele se separou da mulher e passou a morar com a mãe, que é viúva. O tempo foi passando e Aparecido se tornou alcoólatra, tornando-se um fardo para Albina. Conforme relato dos parentes, Aparecido costumava chegar em casa e agredir a mãe, que, com a idade avançada, já não suportava os maus-tratos do filho.

De acordo com a polícia, Albina deverá se apresentar na delegacia nos próximos dias. O delegado Osmar Feijó, titular da DP, informou que, como está fora do flagrante, ela será indiciada em inquérito policial por homicídio e responderá em liberdade. Feijó informou ainda que as testemunhas serão ouvidas no decorrer da semana. A faca usada no crime foi apreendida e encaminhada à perícia.