Marcas de tiros e celas vazias foi o que restou depois de uma quadrilha ter invadido a delegacia de Araucária, na noite de sexta-feira. Em poucos minutos os bandidos renderam os plantonistas com armas pesadas, arrebentaram os cadeados da carceragem e obrigaram todos os 49 presos a fugir. Na manhã de sábado, oito voltaram espontaneamente e um foi recapturado.

A ação começou às 22h20, quando um dos plantonistas mal tinha aberto a porta que dá acesso à galeria de celas, para levar comida ao detentos. Ele foi surpreendido por gritos vindos do lado de fora. Dois homens armados mandaram ele e outra policial deitarem no chão e atiraram com fuzis. O plantonista ainda tentou fechar a porta de aço, mas foi impedido. Ele foi ferido de leve pelo estilhaço de uma bala.

Logo depois da invasão, mais quatro homens se uniram à primeira dupla. A quadrilha estava armada com fuzis e metralhadoras e disparou mais de 20 tiros. Apesar do monitoramento com câmeras e dos portões eletrônicos que deveriam proteger a delegacia, os bandidos conseguiram entrar no pátio e chegar até a carceragem.

Rapidez

O arrebatamento não demorou mais que cinco minutos. Com os policiais deitados e rendidos, os marginais cortaram os cadeados com alicates e mandaram todos os presos saírem. A delegacia acredita que eles estavam atrás de José Braatz da Silva e Willian Roberto de Souza, presos nos últimos dias com computadores roubados.

Policiais do Centro de Operações Policiais Especiais -Cope – e da Polícia Militar foram chamados assim que terminou a ação e iniciaram as buscas pelos fugitivos. Dois veículos, um deles uma Pampa, davam cobertura aos bandidos. Apenas um dos que aproveitaram a chance para escapar foi recapturado. Outros oito se apresentaram.