Amigos inconformados não
entendiam o porquê da morte.

O bombeiro Mauro Marques Júnior, 40 anos, ou capitão Marques, como era mais conhecido, não poderá mais salvar vidas, como era o seu cotidiano. Ao atender a um chamado no portão de casa, na Rua Raul Joaquim Quadros Gomes, Tarumã, ele foi baleado no peito e morreu dentro de residência, tentando chamar socorro, às 19h30 de ontem. Os assassinos fugiram a pé e estão sendo procurados pela polícia.

Marques havia recém-chegado em casa e esperava pela esposa. A campainha ou um chamado vindo da rua fez com que o bombeiro fosse até o portão. Lá, recebeu um tiro no peito e tentou voltar rumo ao telefone. Segundo o aspirante Souza, do Regimento de Polícia Montada, RPMont, seriam dois os assassinos.

O delegado Rubens Recalcatti, da Delegacia de Furtos e Roubos, levantou que os dois bandidos nada levaram da casa e que antes do disparo teria sido ouvido um grito de alguém xingando outra pessoa. Na fuga, um dos bandidos passou por um vizinho da vítima e ainda disse: “Não é nada com você, magrão”, conforme informou o delegado. Eles aparentavam menos de 20 anos e um deles vestia um moletom escuro.

Exemplo

Para o capitão Barros, colega de Marques, a perda para o Corpo de Bombeiros foi inestimável. “Ele trabalhava há 20 anos como bombeiro e era um especialista em buscas e resgates. Não sei dizer quantas vidas salvou”, lembrou. Marques era instrutor e já havia formado 10 turmas de oficiais bombeiros. O major Pombo lembrou a condecoração do companheiro, quando os dois trabalharam juntos para extinguir um incêndio florestal em Roraima, em 1998″. Era um exemplo de dedicação e de precisão profissional”, afirmou.