Atletiba que é Atletiba não termina tranquilo. No clássico que deu ao Coritiba o título antecipado de campeão estadual, a polícia atendeu a 41 ocorrências, 35 na capital e seis na região metropolitana.

Foram 21 envolvendo torcida do Atlético, 17 do Coritiba e três confrontos entre ambas as torcidas. As brigas ocorreram nos bairros São Braz, Batel e Santa Cândida.

Foram encaminhados para assinar termo circunstanciado, no estádio, um rapaz que estava com pequena porção de maconha e outro com cocaína. Outra pessoa encaminhada portava uma arma branca (soco inglês) e a quarta arremessou objeto em um jogador no estádio. Foram encaminhadas a delegacias, pela Polícia Militar, 23 pessoas, sendo três por agressão e o restante por perturbação do sossego.

Força

Participaram 510 policiais militares, com 55 viaturas, um helicóptero, 64 cavalos e quatro cães, distribuídos na Arena da Baixada e em principais pontos da capital e região metropolitana.

Compuseram a força de segurança, policiais civis de unidades especializadas e guardas municipais. Sete ônibus foram danificados, em vários pontos da cidade, durante e após a partida.

De acordo com a Urbs e empresas de ônibus, os danos foram pequenos, se comparados aos últimos clássicos. Os danos foram nos vidros das portas e janelas de cinco veículos, um ônibus teve o parabrisa danificado e um biarticulado ficou com o alçapão do teto estragado.

As empresas de ônibus ainda não calcularam o prejuízo. Os veículos atingidos eram das linhas Interbairros II, ligeirinho Boqueirão/Centro Cívico, ligeirinho Bairro Novo, Dom Ático, biarticulado Boqueirão e um do transporte coletivo de São José dos Pinhais.