O estudante Carlos Eduardo Sundfeld Nunes, o Cadu, de 24 anos, suspeito de matar o cartunista Glauco Vilas Boas, de 53 anos, e seu filho Raoni, 25, foi preso na madrugada de ontem em Foz do Iguaçu e confessou o crime, dizendo estar cumprindo um “chamado de Deus”.

Ele afirmou em depoimento à Polícia Federal (PF) que a arma apreendida com ele (uma pistola 7.65) foi a mesma usada no crime. Segundo a polícia, um exame de balística vai confirmar a informação. As vítimas foram assassinadas na chácara onde moravam em Osasco (SP), na madrugada de sexta-feira.

O próprio estudante teria confessado o crime, antes mesmo de ser perguntado. O delegado José Alberto Iegas admitiu que Cadu tem um discurso místico, em que declara ser “Jesus Cristo”.

Em uma operação de rotina, Carlos Eduardo foi parado no posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF), na BR-277. Depois de trocar tiros com a polícia e acertar uma viatura, o estudante conseguiu fugir e tentou passar pela Ponte da Amizade, na fronteira entre Brasil e Paraguai, onde foi parado em uma barreira da PF, que tinha a informação sobre o veículo em que Nunes estava – um Fiesta Sedan, que foi roubado na região do Morumbi, em São Paulo. Em uma nova troca de tiros, o acusado atingiu um dos policiais no braço.

Até o fechamento desta edição, o suspeito era mantido em uma cela separado dos outros presos na delegacia da PF de Foz, respondendo pela tentativa de homicídio do policial e pelo veículo roubado.

“Tão logo chegue o pedido de transferência dele para São Paulo, nós vamos analisar. Pela PF, não há problemas na transferência, só depende de manifestação do Ministério Público e da Justiça Federal para prepararmos uma equipe de escolta”, informou o delegado da PF responsável pelo caso, Marcos Paulo Pimentel. Nunes chegou à delegacia agitado e transtornado, segundo Pimentel.

Antes de ser detido pela polícia, Cadu disse na delegacia de Foz ter ficado entre sexta e domingo escondido em um matagal no pico do Jaraguá, zona norte de São Paulo, enquanto planejava a fuga. Para sair do País, ele roubou um carro na manhã de domingo.

Homenagem

Jandaia do Sul, no noroeste do Estado, vai homenagear Glauco com o nome de um anfiteatro. O cartunista nasceu na cidade em 1957. Pouco antes dos 21 anos de idade, Glauco deixou a cidade para estudar em Ribeirão Preto (SP).