A polícia de Campina Grande do Sul identificou o acusado de matar João Romão Netto, 45 anos, dentro de uma churrascaria, às margens da BR-116, no Jardim Paulista, na noite de quinta-feira. Aguinaldo Gonçalves, 37 anos, o “Mortinho”, conta com várias passagens por contrabando e descaminho e tentativa de homicídio. O morto, que era conhecido como “Japa”, era considerado um dos líderes de uma poderosa quadrilha envolvida em assaltos, sequestros e tráfico de drogas, em Curitiba e região metropolitana. A polícia acredita que o homicídio esteja relacionado a um acerto de contas.

O crime foi filmado por câmeras de segurança, que mostram Aguinaldo jantando com três mulheres quando a vítima entra no restaurante. Uma delas pega uma arma no carro e a entrega a Aguinaldo, que atira oito vezes em João, e foge num veículo branco. O próximo passo é identificar as mulheres que estavam com o atirador.