Dois rapazes de 19 anos morreram na noite de domingo (27), em Almirante Tamandaré, depois de se envolverem em brigas nos bares em que estiveram. Os assassinos fugiram de moto. Apesar das histórias serem muito semelhantes, aconteceram em bairros diferentes e distantes, e a polícia acredita que os crimes não estejam relacionados.

Cleverson Cecílio dos Santos, o “Polaquinho”, recebeu cobranças de uma dívida dentro de um bar, na Rua Antônio Johnson, no Parque São Jorge, por volta das 22h.

Minutos depois do fim da discussão, o mesmo homem que o cobrou parou uma motocicleta na esquina, retirou o capacete, foi na direção de Cleverson e atirou várias vezes. A vítima morreu na hora, atingida na nuca e nas costas.

Testemunhas relataram à polícia que a dívida era de compra de drogas. Familiares de Cleverson, em depoimento, informaram que o homem que matou o rapaz pode ser o mesmo que matou o pai da vítima, Célio dos Santos Silva, 35 anos, na noite de 13 de junho de 2010 na Rua Osvaldo Milek, Jardim Bonfim, na mesma cidade. O suspeito é conhecido como “Gordo”.

Outro

Menos de duas horas depois, uma briga generalizada entre os clientes fez com que o proprietário de um bar decidisse desligar a música e fechar as portas mais cedo, na Rua Antônio Stocchero, bairro Tranqueira.

O auxiliar de serviços gerais do bar, José Guilherme dos Santos Traleski, foi liberado para ir embora e estava a 400 metros do estabelecimento acompanhado do irmão e de duas mulheres quando dois homens em uma moto preta, utilizando capacetes, se aproximaram.

O garupa ordenou que as mulheres saíssem de perto de José Guilherme, atirou quatro vezes no rapaz e fugiu. Ele morreu na hora. As testemunhas e os clientes envolvidos na confusão devem ser ouvidos na Delegacia de Almirante Tamandaré nesta semana.