A partir dos depoimentos colhidos na delegacia de São José dos Pinhais, os policiais traçaram uma nova linha de investigação para o assassinato de Adelina Werneck, 81 anos, encontrada morta na tarde de sábado. Ontem, começaram a ser feitas as acareações, o que também pode levar ao autor do crime.

Ao interrogar algumas pessoas do convívio íntimo de Adelina, os policiais chegaram até o principal suspeito do crime. O nome está sendo mantido em segredo, para não despertar a atenção do suposto autor. As únicas informações passadas pela polícia são de que ele conhecia a idosa e não tinha bons antecedentes criminais.

Depois dos depoimentos, os policiais deram início às acareações que começaram ontem. “Primeiro ouvimos as pessoas e depois fomos atrás de seus álibis. Como houve algumas contradições começamos a fazer os confrontos”, explicou um dos investigadores do caso.