Elias: revólver para defesa.

O revólver, calibre 38, utilizado pelo assassino de Stephani Santana de Almeida, 13 anos, morta na madrugada do dia 10 de novembro, foi apreendido pela polícia. A informação é do delegado Gerson Machado, titular da delegacia de Pinhais. Ele contou que a arma estava em poder de Elias Lustoso dos Santos, 23 anos. Já o acusado de ser autor do crime, Allan Braga da Silva, 20 anos, continua foragido.

O delegado relatou que os investigadores Marçal e Jair receberam a informação que o revólver usado no homicídio estaria escondido em uma casa, no Conjunto Bonilauri, em Pinhais. Eles se dirigiram até o local e localizaram a arma escondida embaixo de um travesseiro. “O Elias foi autuado em flagrante de acordo com a nova lei 10.826, por posse ilegal de arma. A pena para este tipo de crime é de 2 a 4 anos”, salientou Machado. “Esse jovem já tem passagem por roubo e foi indiciado no mesmo inquérito do homicídio da garota por corrupção de menores, já que emprestava a casa para adolescentes fazerem festas”, argumentou o delegado.

Elias confessou que o revólver é seu, mas alegou que comprou a arma de um desconhecido e que não sabe como identificá-lo. “Eu entrego pizza. Comprei o revólver para minha segurança”, disse.

Morte

Stephani foi morta durante uma festa que acontecia em uma casa na Rua Porto Velho, 240, em Pinhais. Na época, testemunhas do crime relataram que o motivo foi o tapa que a menina deu no rosto de Allan, por ele ter passado a mão nas nádegas dela. Ofendido, ele teria pego o revólver de um outro homem, encostado na cabeça de Stephani e a executado. Os amigos dela, que estavam na festa, levaram-na para a Unidade de Saúde local. Stephani foi encaminhada ao Hospital Cajuru, mas não resistiu ao ferimento.