Uma fábrica de dinheiro falso, que funcionava nas proximidades de uma delegacia de Londrina, foi estourada ontem, por policiais militares e civis. Em um apartamento da Rua Benjamin Constant, no centro da cidade, foram encontradas 25 cédulas falsificadas, já prontas para serem repassadas, um cilindro de metal, três carimbos imitando marcas d?água e várias cédulas prontas, aguardando o corte, além de impressora, computador, cola e CDs. Os paulistas Paulo Roberto Rocha, 48 anos, e José Valdeiro Aires Gama, 34 anos, foram presos e conduzidos à delegacia da Polícia Federal de Londrina, onde foram autuados em flagrante.

O delegado Kandy Takahashi, da PF de Londrina, informou que havia informações de que havia um “derrame” de dinheiro falso na cidade. “Há cerca de dez dias, a força-tarefa das polícias militar e civil começou investigar o caso”, ressaltou o delegado. “Os próprios policiais que efetuaram a prisão nos relataram que, na segunda-feira, foi feita uma negociação de 150 cédulas de R$ 10,00, que foram vendidas pelo valor de três por um”, acrescentou.

Investigações

Takahashi acredita que outras pessoas estão envolvidas na fabricação e no derrame de dinheiro na cidade. “Vamos dar continuidade às investigações e apurar o nome de outros possíveis envolvidos”, enfatizou o delegado. Ele disse que também será apurado o destino do dinheiro falso e seu montante. “Eles estavam instalados em Londrina desde o início do ano e são da cidade paulista de São Carlos”, comentou Takahashi.