A porta arrombada; a mangueira do gás de cozinha cortada; a casa revirada e vários objetos roubados. Este foi o cenário da morte de Ednaura da Silva Alvarenga, 69 anos, assassinada na madrugada de ontem, dentro da própria casa, na Rua Salvador José Corrêa Coelho, Campo Comprido. Segundo a polícia, a mulher, que morava sozinha, foi vítima de latrocínio – roubo seguido de morte – e o nome de alguns suspeitos já foram apurados.

De acordo com alguns vizinhos, o crime teria acontecido por volta das 3h30 da manhã, quando uma movimentação suspeita acontecia no local. Ao ser acionada, a polícia chegou na casa e percebeu a porta arrombada. Ao entrar, os policiais viram todos os móveis e objetos revirados, e Ednaura morta entre o corredor e um dos quartos. A mulher estava caída no chão, com dois travesseiros sobre o rosto. A mangueira do gás de cozinha foi encontrada cortada e o registro aberto. “Provavelmente ela foi morta por asfixia, mas só depois dos exames complementares, no Instituo Médico Legal, isto poderá ser confirmado”, afirmou o delegado Rubens Recalcatti, da Furtos e Roubos.

Ao chegar na casa da mãe, Márcio da Silva Alvarenga informou aos policiais que havia sido roubado um celular, duas televisores e um vídeo cassete. Como o interior da residência estava todo desarrumado, o rapaz não soube dizer se mais objetos haviam roubados

Suspeitas

Policiais da especializada já têm o nome de alguns suspeitos do crime. Entre eles um casal de homossexuais, que há quatro meses teria alugado a casa dos fundos, no terreno onde morava Ednaura. Ela teria despejado os inquilinos por que não permitia que eles fizessem “programas” amorosos na casa. Revoltado, o casal negou-se a pagar o aluguel e sempre que era cobrado, ameaçava a mulher. Além deles, a policia também está atrás de cinco indivíduos que, no último domingo, foram até a casa alugada falando que eram policiais. Eles invadiram o local, quebraram todos os vidros e entraram em luta corporal com o novo inquilino da vítima. Ontem a polícia ouviu alguns vizinhos de Ednaura e dentro dos próximos dias os suspeitos deverão ser interrogados.