Três adolescentes foram apreendidos ontem pela manhã na invasão Icaraí, no Uberaba, em Curitiba, numa operação da Polícia Militar. O mais novo deles, com 15 anos, confirmou ser o autor do assassinato do estudante Marcos Cordeiro dos Santos, 24 anos, ocorrido há duas semanas. Ele e os outros dois, um de 16 e outro de 17, também são suspeitos de ter praticado pelo menos outros oito homicídios. No momento da apreensão, os jovens portavam uma garrucha.

A detenção é resultado de uma operação em conjunto da Delegacia de Homicídios, Centro de Operações Policiais Especiais (Cope) e Divisão de Narcóticos, desencadeada na última quinta-feira para conter a onda de violência que assola o local. Na operação, foram presas 14 pessoas para averiguação e, através delas, foi possível levantar o nome dos suspeitos: “Lá tem a lei do silêncio. Não adianta tentarmos buscar informações, já que eles não falam nada”, diz o delegado Luiz Carlos de Oliveira, titular da DH e chefe da Divisão de Crimes contra o Patrimônio.

As informações foram repassadas para todas as delegacias especializadas e Policia Militar. Ontem, numa operação da PM, eles foram presos em uma das casas da vila. Segundo os adolescentes, eles não moram com a família. Um deles é oriundo de São Paulo e os outros dois de cidades do interior do Estado. O jovem que confirmou o assassinato disse que matou o estudante durante uma briga por bebida.

Segundo o superintendente, César Vicente, naquela noite só não houve outro homicídio porque a arma que ele portava falhou quando ele atirou num colega do estudante. Os meninos também são suspeitos em outros oito homicídios, alguns envolvendo requintes de crueldade: alguns corpos teriam sido jogados nas cavas que ficam atrás da vila, e num dos casos eles teriam chegado a cortar a orelha da vítima, que depois foi aquecida e comida.

Os policiais mantêm um dos garotos na DH, para confirmar a sua idade, que parece superar os 18 anos.