A Rua Pastor João Batista Clemente, nas proximidades do terminal de ônibus da Cidade Industrial de Curitiba, Vila Nossa Senhora da Luz, foi o cenário para uma execução no final da noite de sexta-feira. Cleberson Bueno Guibur, 17 anos, mais conhecido pelo apelido de “Frango”, foi assassinado com treze tiros e abandonado na via pública. No local, as polícias Civil e Militar não encontraram testemunhas que pudessem relatar o que ocorreu.

De acordo com o boletim de ocorrência da Delegacia de Homicídios, o rapaz recebeu dez tiros no peito e três na cabeça. A Polícia Científica recolheu cápsulas de pistola calibre 380 e outros projéteis, o que indica que, no mínimo, duas armas foram utilizadas na execução de Cleberson e, provavelmente, dois atiradores participaram da ação.

Na Vila Nossa Senhora da Luz, local conhecido por problemas relacionados ao tráfico de entorpecentes, predomina a “lei do silêncio” e, dificilmente, a polícia consegue obter dados significativos sobre a ocorrência. No chamado, a Polícia Militar foi informada de que um dos autores seria um homem de aproximadamente 27 anos. Investigadores da Delegacia de Homicídios e policiais militares do 13.º Batalhão deram atendimento ao óbito.

Pelas informações obtidas na vila, a vítima era conhecida na região pela prática de furtos, mas o crime não foi relacionado inicialmente a esse motivo. Cleberson – que vivia na vila – foi criado pelos avós, que também não souberam informar o que poderia ter motivado a execução. “Ele chegou em casa, jantou sossegado e saiu logo em seguido. Somente mais tarde, fui avisado do que aconteceu”, relatou o avô da vítima. O parente também confirmou que Cleberson já teria passagem pela polícia.

As investigações sobre o caso ficam sob responsabilidade do delegado Jaime da Luz, da DH.