Helton Ferreira de Lima, 17 anos, morreu em confronto com policiais do serviço reservado do 13.º Batalhão da Polícia Militar na madrugada de ontem, no Novo Mundo. Ele foi identificado pelos familiares no Instituto Médico-Legal (IML), no meio da tarde.

Segundo informações de um policial militar do serviço reservado, que não pode ser identificado, o confronto ocorreu na terceira vez que equipes policiais verificavam chamadas por disparo de arma de fogo perto da Rua Joaquim Antônio da Cruz e Rua Clara Polsin.

Nas duas primeiras não foram localizados suspeitos. Por volta de 2h, a PM recebeu a denúncia, que descrevia um rapaz moreno, com cabelo raspado, vestindo camiseta branca e aparentando 25 anos, que atirava a esmo.

Abordagem

Uma equipe do serviço reservado atendeu a ocorrência em apoio à viatura 8240, com os soldados Roko e Juliano, e se deparou com dois rapazes armados, segundo a polícia.

Os policiais estacionaram a 20 metros da dupla para realizar a abordagem. “Quando nos identificamos como policiais, um correu e outro se escondeu numa moita e começou a atirar”, contou o PM.

Depois de disparar cinco tiros contra os policiais, a equipe revidou e acertou quatro tiros no peito e no braço do suspeito. Ele foi socorrido e encaminhado ao Hospital Trabalhador, a cerca de a três minutos do local do tiroteio, de acordo com o policial do serviço reservado.

Revólver

Helton não resistiu aos ferimentos. Com o suspeito, a polícia apreendeu um revólver calibre 38 com a numeração lixada. Ele já tinha passagem por porte ilegal de arma, pela Delegacia do Adolescente, em 21 de março. Segundo o policial, desde 2005, o 181 Narcodenúncia já recebeu mais de 130 denúncias de venda de drogas na região.