Antiga conhecida da polícia foi presa, pela 11.ª vez, acusada de estelionato. Nas vezes anteriores, os advogados de Eliane Regina Gomes, 50 anos, que a acompanham há bastante tempo, conseguiram colocá-la em liberdade.

Na manhã de ontem, quando ela seria apresentada à imprensa, eles já estavam na delegacia e solicitaram que não fosse fotografada. No entanto, permitiram a divulgação de uma foto que estava em uma das muitas identidades falsas da mulher.

A prisão aconteceu na tarde de terça-feira, depois que investigadores da Delegacia de Estelionato e Desvio de Cargas (DEDC) receberem denúncias de vítimas lesadas pela mulher -que aplicava golpes comprando e vendendo carros.

Eliane foi detida quando saía do apartamento onde morava, no Bacacheri. Com ela, foram apreendidas diversas folhas de cheque preenchidas com valores altos. Um deles era de R$ 200 mil. Também foram apreendidas duas carteiras de identidade falsificadas.

Denúncias

A golpista usava os nomes de Elza Borba Cordeiro de Amorim e Marilize Barros dos Santos. “Foram inúmeros golpes e, antes mesmo de divulgar a prisão dela, já tivemos nove vítimas que nos procuraram para denunciá-la”, explicou o delegado Cassiano Aufiero.

De acordo com ele, a mulher costumava comprar carros de particulares -usando cheques de contas abertas com documentos falsos – e depois os revendia. “Ela já foi presa 10 vezes, responde a 23 processos e possui 19 inquéritos policiais em seu nome. Porém, ficava presa alguns dias e os advogados conseguiam colocá-la em liberdade para aplicar novos golpes. Temos certeza que novas vítimas aparecerão”, declarou o delegado.

A investigação continua para identificar se as revendas que compravam os carros estão envolvidas nos golpes. Quem tiver mais informações pode ligar para a DEDC, no telefone 3365-3478.