Dentro de casa, o comerciante José Pereira de França Filho, 68 anos, recebeu a visita de seu assassino. Era um assaltante, que invadiu o boteco que funciona anexo à residência da vítima, na Rua Rio Paranaíba, bairro Moinho Velho, Colombo, e o matou com dois tiros, às 5h de sábado. A amásia de José, Lis Egler, 38 anos, sofreu um golpe superficial de facão na nuca ao tentar socorrer o marido.

O comerciante dormia em casa quando alguém bateu na janela, pedindo uma carteira de cigarro. Solícito, José levantou-se para atender ao pedido, mas surpreendeu-se ao ver que um homem já havia entrado na casa por uma janela lateral. O invasor apontou uma arma e deu voz de assalto.

Facão

José desvencilhou-se, apanhou um facão e ficou à espreita num corredor. “Quando viu o vulto do ladrão, pulou em cima dele”, contou a mulher do comerciante. Vítima e bandido lutaram e, em meio à briga, no escuro, dois tiros foram disparados. Quando Lis apareceu, o marido estava caído no chão, ensangüentado. O assaltante, que havia tomado o facão, acertou um golpe na nuca de Lis, sem maior gravidade, e fugiu sem roubar nada. Dois outros bandidos estariam fazendo a cobertura do lado de fora.

O assassino foi descrito como moreno, alto, e vestia uma touca com emblema de um clube de futebol. Segundo a esposa da vítima, seria o mesmo homem que roubou o bar uma semana antes.

O crime revoltou moradores da região e parentes da vítima. “José tocava o bar há muito e era querido por todos no bairro. Estamos inconformados”, disse Iraci, ex-mulher e mãe dos cinco filhos do comerciante.