Fábio Alexandre
Ilma, emocionada no fim do júri.

Ilma Matos de Almeida, 41 anos, acusada de matar o marido a golpes de facão, foi absolvida em julgamento realizado no Fórum de São José dos Pinhais, em sessão presidida pela juíza Luciani Regina Martins de Paula. Os jurados acataram a tese de legítima defesa, apresentada pelos advogados da ré. O julgamento durou mais de dez horas, tendo se encerrado no final da noite de quarta-feira. Ilma confessou ter matado o marido, José Mendes de Almeida, para se proteger e proteger os filhos.

De acordo com os advogados Nilton Ribeiro de Souza e Luciano Nei Cesconetto, a defesa alegou que, no dia do crime, o marido de Ilma estava alcoolizado e ameaçou matá-la, assim como aos dois filhos do casal, que tinham reprovado de ano. "Ele deixou o facão sobre a cômoda e os dois começaram a discutir. Se ela não o matasse, era Ilma quem iria morrer", disse Luciano.

Nos dez quesitos preenchidos pelo corpo de jurados, Ilma foi absolvida por unanimidade. Em um dos itens, por seis votos a um, eles entenderam que a ré praticou o crime em legítima defesa.

Depois do júri, Ilma, que ficou 30 dias presa preventivamente, voltou para casa, em Tijucas do Sul, acompanhada dos dois filhos, hoje com 20 e 22 anos. "Sinto-me feliz. Foi um pesadelo na vida da gente. Estava com muita fé, pois muitas pessoas lá em Tijucas estavam rezando por mim. Vou trabalhar bastante e levar a minha vida", disse emocionada a mulher, dona de uma mercearia.