Princípio de rebelião no 11.º Distrito Policial (CIC) foi contido pelos policiais de plantão, com apoio do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), na madrugada de ontem. Durante revista na carceragem, foram encontrados seis estoques (armas artesanais) e um buraco em uma das celas. A superlotação seria o motivo da revolta e policiais reclamam que há mais de 10 dias não é feita a transferência de presos para o sistema penitenciário.

A carceragem do 11.º DP está com 162 detentos, em espaço para 38. Segundo um policial, que preferiu não se identificar, os presos ameaçam fazer os plantonistas reféns. “É uma bomba prestes a explodir e representa perigo para a população e para os policiais”, disse. Desde que foi determinado o esvaziamento das carceragens dos distritos de Curitiba, todos os presos são levados para o 11.º DP, de onde deveriam ser transferidos para penitenciárias.

Penitenciárias

De acordo com a Secretaria de Estado da Justiça (Seju), a transferência de detentos ficou parada por uma semana para a “rotina de esvaziamento” do sistema penitenciário. O processo, segundo a Seju, foi retomado segunda-feira. De segunda a sexta-feira devem ser realocados 20 presos por dia, totalizando 80 na semana. A Seju informou que a promessa do governador Beto Richa era transferir 1.200 presos em 60 dias e que esse número chegou a 2.045. Por isso, teria sido necessário o tempo para a “rotina de esvaziamento”.

Paraná Online no Facebook