"Em seu papado, João Paulo II priorizou a Paz mundial e a união dos povos. Promoveu o fortalecimento do ecumenismo e do diálogo entre todas as religiões. A Pastoral da Criança, organismo de ação social da CNBB, segue este preceito: seus mais de 240 mil voluntários de todo o Brasil atuam movidos pelo amor ao próximo e pela fé, seja qual for a sua crença religiosa ou política.". Assim a coordenadora nacional da Pastoral da Cruiança, Zilda Arns, iniciou a nota divulgada hoje (2), logo após o anúncio da morte do papa João Paulo II.

"Neste momento de dor para a Igreja Católica e para toda a Humanidade, a Pastoral da Criança une-se ao mundo em oração ", complementou Zilda Arns.