A vice-líder do PSDB na Câmara Yeda Crusius (RS) avalia que, com a medida provisória (MP) editada ontem (16) pelo governo, dando status de ministro ao presidente do Banco Central (BC), Henrique Meirelles, o Congresso poderá agora convocá-lo. “Na condição de ministro, o presidente do BC, Henrique Meirelles, passa a ser convocado, formalmente, e não apenas convidado, para prestar depoimento no Congresso”, defendeu Yeda, por meio da assessoria.

Ela lamentou que a administração federal use uma MP – um instrumento de emergência – com o objetivo de ajudar Meirelles a fugir dos trâmites normais da Justiça para se defender das acusações de evasão fiscal. “Para um governo isolado no seu poder, em meio a uma série de denúncias, deve ser mesmo emergência “, disse, ainda por meio de nota. “No lugar de responder às acusações, o PT sempre muda o próprio conceito de responsabilidade e crime para proteger os seus”, completa.