O primeiro astronauta brasileiro a fazer uma viagem ao espaço embarcará em uma nave russa em março de 2006 com destino à Estação Espacial Internacional (ISS). O contrato para esse vôo será assinado durante a visita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva a Moscou, amanhã (18).

O tenente coronel aviador Marcos Cesar Pontes está há quatro dias no Centro de Preparação de Cosmonautas Yury Gagarin, a chamada Cidade das Estrelas, a uma hora da capital russa. Ele já está passando pela avaliação médica necessária para dar início ao seu treinamento.

Ao entrar na Cidade das Estrelas, Pontes passou a seguir as regras do centro e não pode sair ou dar entrevistas sem autorização da instituição. Segundo o presidente da Agência Espacial Brasileira (AEB), Sergio Gaudenzi, até mesmo a participação do astronauta na cerimônia de assinatura do contrato, no Kremlin, precisa ser confirmada pela agência russa.

A união com a agência espacial russa (Roscosmos) vai permitir a realização de um sonho que dura pelo menos sete anos. Em agosto de 1998, o tenente-coronel deu início ao seu treinamento na Nasa, agência espacial norte-americana. Depois de concluída a preparação, a possibilidade do primeiro vôo foi adiada pela decisão da Nasa de interromper as missões espaciais depois do acidente do ônibus espacial Columbia em 1º de fevereiro de 2003.

"O Pontes tem um período para voar porque é preciso ter treinamento permanente e ele não pode ficar o tempo todo em treinamento. É preciso aproveitar agora que ele está pronto para fazer o vôo", explicou Gaudenzi. "Se for feito um vôo por ano pelos Estados Unidos, ele reforma e não voou ainda". Gaudenzi avalia que o tenente coronel deve sair da ativa daqui a cerca de cinco anos.

Gaudenzi afirmou que o embarque de Pontes no ano que vem terá um significado especial porque será o ano do centenário do primeiro vôo do 14 Bis, avião construído por Alberto Santos-Dumont. "Com 100 anos de Santos-Dumont, nós vamos ter um astronauta na estação espacial", comentou.