De acordo com o Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro, 100 brancos e 170 negros são assinados anualmente por policiais militares, em cada cem mil brasileiros. A comissão de Direitos Humanos e Minoria da Câmara dos Deputados realizou uma audiência hoje para discutir o racismo policial.

Uma pesquisa da Fundação Perseu Abramo demonstra que 51% dos negros brasileiros dizem já ter sofrido discriminação por parte da polícia, contra 15% dos brancos.

A discussão sobre o assunto foi reacendida quando o dentista Flávio Ferreira Sant’Ana foi assassinado, em fevereiro desse ano. Um primo de Flávio, Joel Bispo Borges, também esteve presente na audiência desta tarde. “O caso do Flávio se tornou particular por ser um negro de classe média. Se ele fosse um negro de uma camada social mais baixa, provavelmente o caso não teria tido a repercussão que teve. Um grande número de negros das camadas mais baixas são assassinados e a sociedade e os meio de imprensa não ficam sabendo”, disse. Os policiais militares que são acusados de serem responsáveis pelo crime estão hoje presos.