Mais um dia de banho de sangue na capital iraquiana. Quatorze corpos com sinais de tortura foram encontrados na cidade e arredores e pelo menos seis pessoas morreram em ataques, num claro sinal de uma escalada da violência em pleno Ramadã, o mês sagrado para os muçulmanos.

Também nesta sexta-feira (29), o governo do Iraque declarou um imediato e completo toque de recolher em Bagdá entre a noite de sexta-feira e a manhã de domingo, informou o gabinete do primeiro-ministro.

Nem pessoas nem veículos poderão circular pelas ruas da capital durante o período, informou Haider Majeed, porta-voz do premier Nouri al-Maliki. Majeed recusou-se dizer o motivo pelo qual a administração resolveu impor o toque de recolher.

Uma fonte no Ministério do Interior, no entanto, disse em condição de anonimato que "informações de inteligência sobre a situação de segurança fizeram as restrições necessárias". A fonte não quis dar mais informações.