A votação das 720 emendas que os vereadores curitibanos apresentaram à proposta orçamentária para 2003 deve acontecer no início da semana que vem, nos dias 10 e 11. Quem garante é o líder do prefeito na Câmara, vereador Mario Celso Cunha (PSB).

O parlamentar acredita que deva ultrapassar 35% o nível de aprovação de emendas este ano. Mario Celso ressalta que “independente da bancada partidária, foi dada preferência às emendas exequíveis, ou seja, as que são constitucionais e atendem às necessidades da população”.

Ainda não está confirmado se as emendas serão votadas em bloco ou individualmente, para evitar que a sessão plenária adentre a madrugada. Também não estão previstas sessões extraordinárias. Em 2001, a votação foi dividida, no primeiro turno, em duas etapas, uma pela manhã e outra à tarde. Para este ano, ainda não há nada definido.

O número recorde de emendas apresentadas, acompanhará, segundo o presidente da Comissão de Economia, Finanças e Fiscalização, vereador Éde Abib (PSDB), outro recorde: o de aprovação. O parlamentar também confirma que devem ser aprovadas mais de 200 emendas, tendo como parâmetro a Lei de Responsabilidade Fiscal. Conforme Abib, esse expressivo número resulta do trabalho realizado nas audiências públicas.