A Venezuela descartou nesta quarta-feira uma moratória ou uma reestruturção forçada da dívida externa, mas informou que planeja uma troca voluntária no segundo trimestre. “Descartamos completamente qualquer idéia de moratória ou uma reestruturação forçada… essas são operações de mercado”, disse nesta quarta-feira o ministro das Finanças, Tobías Nóbrega.

Ele acrescentou que o governo está trabalhando no programa de troca desde que foi anunciado, no final do ano passado. “Continuaremos a cumprir com nossas obrigações”, disse. Nóbrega também afirmou que o governo está se preparando para apresentar a proposta de troca da dívida aos mercados internacionais no segundo trimestre deste ano.

O governo da Venezuela enfrenta problemas fiscais depois da greve geral de dois meses liderada pela oposição, que abalou intensamente a produção do quinto maior exportador de petróleo do mundo.