As vendas reais na indústria de transformação no Brasil cresceram 1,93% em dezembro de 2006 ante igual mês de 2005 e 2 92% na comparação com novembro de 2006, em termos dessazonalizados. Os dados foram divulgados hoje pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). De acordo com os indicadores industriais, as vendas reais acumularam uma expansão de 1,72% em 2006 em relação a 2005. O número de horas trabalhadas praticamente se estabilizou, apresentando um avanço de 0,59% em dezembro do ano passado ante dezembro de 2005 e uma queda de 0,69% na comparação com novembro de 2006.

No acumulado do ano, as horas trabalhadas na produção cresceram 1,8% em relação a 2005. Segundo a CNI, "a combinação de aceleração do ritmo de crescimento das vendas e a acomodação das horas trabalhadas na produção sinaliza uma queda de estoques, o que provoca uma percepção positiva para a atividade industrial neste início de 2007".

Ainda conforme os indicadores industriais, a expansão das vendas em relação a novembro foi a maior expansão mensal desde agosto de 2004. No quarto trimestre, as vendas reais ampliaram-se 3,92% em relação ao terceiro trimestre. Segundo a CNI, as vendas cresceram estimuladas pelo aumento da renda da população, pela expansão do crédito e pela estabilidade da taxa de câmbio. A entidade também destaca que as vendas na indústria subiram em oito dos últimos dez meses.

Em relação ao emprego, os postos de trabalho na indústria cresceram 3,89% em dezembro em relação a dezembro de 2005 e tiveram uma queda de 0,04% na comparação com dezembro de 2006. No acumulado do ano, o número de empregos na indústria subiu 2,21% ante 2005.