As vendas no segmento industrial cresceram 2,77% em janeiro em relação a fevereiro. De acordo com informações da Confederação Nacional das Indústrias (CNI), a queima de estoques ajudou a alcançar esse desempenho. A pesquisa mensal foi realizada em 12 estados com três mil empresas.

?As exportações são o principal fator de demanda da economia brasileira, tendo em vista que a renda do trabalhador continua baixa. Mas a expectativa de crescimento da economia continua, embora não tão alta como se tinha no final do ano passado. Esperava-se que o crescimento viesse mais cedo, mas, infelizmente, houve uma paralisação da trajetória de redução dos juros, reduzindo a expectativa positiva na economia e, resultando, em termos de investimento, consumo, em crescimento moderado, da maneira como vem ocorrendo nos últimos meses?, declara Renato da Fonseca, coordenador da Unidade de Pesquisa da CNI.

No que se refere aos preços, a CNI não acredita em aumento da deflação da economia, tendo em vista a queda observada em alguns setores, mas com aumento em outros. A redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) resultou em impacto positivo na Indústria Automobilística em relação ao ano anterior.