Balanço parcial divulgado nesta quarta-feira (6) pela Secretaria estadual da Saúde mostra que o Paraná está próximo da meta proposta pelo Ministério da Saúde na campanha nacional de vacinação contra a poliomielite. Até esta quarta-feira, último dia da campanha, foram vacinados 87,46% da população de crianças entre zero e cinco anos de idade. Segundo o secretário Cláudio Xavier, isso significa quase 800 mil crianças vacinadas.

Das 22 Regionais de Saúde existentes no Estado, metade delas já ultrapassaram 90% das crianças vacinadas. Apenas cinco Regionais ainda não alcançaram a meta, mas estão com média de 82%. ?Parabenizamos as pessoas que levaram seus filhos para tomar a vacina, demonstrando a sua responsabilidade. Sempre contamos com o apoio da população nessas campanhas e essa ajuda é muito importante?, disse Cláudio Xavier.

Conforme os dados do Ministério da Saúde, o país vacinou 85,4% das crianças nesta faixa etária. O único Estado que chegou a 100% foi Pernambuco. A região Norte do país vacinou 72,6%, a região Nordeste está com 89,1% e a Sudeste com 84,9%. A região Sul segue os números do Paraná e está com 87,8% e a região Centro-Oeste vacinou 86,5%. ?Para quem ainda não levou seu filho para vacinar, agora os postos de saúde disponibilizam a vacina na rotina. Existe vacina durante o ano todo em todos os postos?, avisa a diretora do Centro de Informações e Diagnósticos de Saúde, Inês Vian.

A vacinação é importante, pois ainda existem países que não erradicaram a doença e possuem altas taxas de letalidade e casos de paralisia infantil. ?Embora não sejam mais registrados casos da doença no Brasil, ela ainda está presente em diversos países, por isso a prevenção é tão importante?, conta Inês.

Em 1994, a Organização Mundial da Saúde (OMS) reconheceu a erradicação de transmissão autóctone da doença no continente americano. Os países do Pacífico Ocidental receberam o reconhecimento em 2000 e a Europa em 2002. No mundo, três regiões ainda não receberam a certificação da erradicação da pólio: África, Sudeste da Ásia e Mediterrâneo Ocidental. A Nigéria, o Paquistão e a Índia são as três nações que registram maiores índices da doença – 77% de todos os casos globais registrados. As campanhas em países que já erradicaram a doença são necessárias, pois o fluxo de viajantes no mundo é muito grande, o que pode propagar o vírus.

A vacina oral contra a poliomielite é considerada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) a única vacina capaz de viabilizar a erradicação global da doença, que causa uma infecção capaz de deixar seqüelas por toda a vida ou levar à morte. A poliomielite é também conhecida como paralisia infantil por acometer principalmente as crianças. Até meados da segunda metade do século XX, a paralisia era uma das doenças mais temidas pela população mundial, pois paralisava centenas de milhares de crianças.