As exportações do Paraná para a União Européia (UE) ultrapassaram a marca de US$ 349 milhões nos dois primeiros meses de 2005, ocupando 30,74% das exportações do Estado. Com isso, a UE superou mais uma vez o Nafta – bloco liderado pelos Estados Unidos – como principal destino dos produtos paranaenses. No primeiro bimestre deste ano, o Nafta comprou US$ 242 milhões, atingindo participação de 21,29% das vendas do Paraná.

O secretário da Indústria, do Comércio e Assuntos do Mercosul, Luis Mussi, afirma que a supremacia norte-americana no destino das exportações do Estado está perdendo espaço para a crescente participação européia. ?Em janeiro e fevereiro, países como a Alemanha, França, Reino Unido, Países Baixos (Holanda), Itália e Rússia já figuraram entre os dez maiores compradores do Paraná. Atualmente, blocos econômicos como a Aladi e o Mercosul estão cada vez mais representativos para o Estado?, afirma Mussi.

Produtos

Para o coordenador de Assuntos Internacionais e do Mercosul, Santiago Gallo, a liderança européia entre os blocos econômicos é traduzida na escolha dos produtos vendidos pelo estado. ?Hoje o Paraná vende à UE principalmente produtos oriundos da soja, do frango e madeira, ou seja, produtos vindos do agronegócio. Na relação de produtos do Nafta encontramos maiores vendas de produtos com maior valor agregado como motores e bombas injetores – produtos que ainda precisam garantir maior espaço entre as exportações paranaenses?, diz Gallo.

Aladi

Seguida da UE e do Nafta, a Aladi (Associação Latino-Americana de Integração) figura em terceiro lugar entre os principais blocos econômicos compradores do Paraná. Com exceção dos países do Mercosul, a Aladi comprou US$ 132 milhões em janeiro e fevereiro, com participação de 11,61% do total das exportações paranaenses. O Mercosul chega logo em seguida, com 9,84% das exportações e valores de US$ 112 milhões.