O principal motivo, obviamente, foram as praias paradisíacas da região. Mas o crescimento do Nordeste e a estabilidade econômica brasileira foram as causas para que investidores – principalmente portugueses e espanhóis – procurassem as terras nordestinas para criar seus grandes empreendimentos.

Um dos mais recentes foi o grupo espanhol Qualta, que vai inaugurar em 2009 o primeiro hotel do The Reef Club, um resort na praia de Barreiras, em Pernambuco. Para o projeto completo, que inclui dois hotéis, três pousadas, 4 mil bangalôs, um centro comercial e um campo de golfe, serão investidos R$ 800 milhões até 2014.

O The Reef Club está entre os dez maiores empreendimentos hoteleiros programados para serem construídos no Nordeste. "Os números variam de Estado para Estado, mas não é exagero dizer que serão investidos R$ 6 bilhões na região até 2010 na área hoteleira", diz o presidente da Associação Brasileira de Resorts Alexandre Zubarán. "Os resorts mudaram a economia local. Para cada R$ 16 mil investidos em hotéis, cria-se um emprego. No setor têxtil, seriam necessários R$ 32 mil, e na siderurgia, R$ 64 mil."

Serviços

O crescimento do consumo no Nordeste já tem impacto nos preços dos serviços livres nas capitais da região. Em Salvador (BA) e Recife (PE), por exemplo, os preços dos serviços livres subiram 51,03% e 64,72%, respectivamente, de 2004 a março deste ano, segundo Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) da Fundação Getúlio Vargas (FGV).

No mesmo período, a inflação dos serviços livres em São Paulo e no Rio de Janeiro, as principais capitais do Sudeste, foi de 40 51% e 41,20%, respectivamente. Serviços livres são aqueles cujos reajustes seguem apenas das leis de mercado.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo