O turismo já é o terceiro produto de exportação na balança comercial brasileira, atrás somente da soja em grão e do minério de ferro. Nos seis primeiros meses de 2005, o setor apresentou um superávit de US$ 2.125 milhões, após ter acumulado, por mais de uma década, um déficit de US$ 22,5 bilhões, mantendo o desempenho do ano passado e de 2003.

Já os desembarques de passageiros em vôos nacionais e em vôos internacionais tiveram um crescimento, no primeiro semestre, de 18,6% e 15,3%, respectivamente, em relação ao mesmo período do ano passado.

Os dados foram apresentados, nesta terçafeira, pelo ministro do Turismo, Walfrido dos Mares Guia, durante a 8ª Reunião do Conselho Superior de Comércio Exterior ? Coscex, na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), em São Paulo.

O ministro comemorou os 21 meses consecutivos de crescimento no número de desembarques de passageiros de vôos nacionais. Somente no primeiro semestre foram registrados 20.072.579 desembarques, um crescimento de 18,6% com relação aos seis primeiros de 2004.

Considerando-se o acumulado de 12 meses, o setor totaliza 39,8 milhões de passageiros, um recorde histórico no setor. "O turismo no mundo cresce a uma média de 10%. No Brasil o setor está crescendo acima de 15%", explicou Mares Guia.

Os desembarques em vôos internacionais há 30 meses consecutivos apresentam um recorde de crescimento. Somente nos seis primeiros meses do ano, o número de desembarques totalizou 3.341.485: o crescimento foi de 15,4% em relação ao mesmo período do ano passado.

"O turismo está crescendo a um nível alucinado", disse Mares Guia. "Cada um milhão a mais de desembarques representa a geração de 605 mil empregos diretos e 110 mil empregos indiretos".

Vistos

Sobre a exigência de visto para a entrada no País de turistas norte-americanos, o ministro argumentou que os Estados Unidos são o maior mercado emissor de turistas para o mundo. "Dos 63 milhões de americanos que viajaram para o exterior, no ano passado, somente 633 mil visitaram o Brasil", explicou. "Não justifica a cobrança de taxa para entrada no País".

O Coscex tem como objetivo promover o debate e a pesquisa no comércio exterior, além de sugerir ações na área. É presidido pelo ex-embaixador do Brasil em Washington, Rubens Barbosa. (Repórter Marlene Gomes)