O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) adiou o julgamento da representação que investiga a compra de dossiê contra políticos tucanos nas eleições de 2006, que estava previsto para ser realizado nesta quinta-feira (19). Segundo o TSE, o julgamento fica marcado "a princípio" para a próxima sessão plenária, na terça-feira. A representação também vai avaliar as responsabilidades do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no caso.

O motivo do adiamento foi a impossibilidade de o relator da matéria, ministro Cesar Asfor Rocha, comparecer ao julgamento, porque estava retido em outra sessão no Superior Tribunal de Justiça (STJ). A representação foi protocolada em setembro do ano passado pela coligação do então candidato à Presidência Geraldo Alckmin, que alegou que o dossiê seria usado para prejudicar sua campanha.

No dia 16 de setembro, a Polícia Federal prendeu Valdebran Padilha e Gedimar Passos com US$ 248,8 mil e R$ 1,168 milhão, supostamente destinados a comprar um dossiê que ligava políticos do PSDB ao caso Sanguessugas – compra superfaturada de ambulâncias.