Três homens assaltaram hoje, por volta das 10h, a Cúria Diocesana de Palmas, a 370 quilômetros de Curitiba. O bispo d. Agostinho Sartori, de 74 anos, foi trancado na sacristia da capela com outras 14 pessoas, entre elas o monsenhor Engilberto Brüggenthies, de 91 anos, e o padre Flávio Luiz Volpato, funcionários da cúria e da residência episcopal.

Os assaltantes abriram o cofre e roubaram uma coroa de ouro que ornamentava a cabeça da imagem de Nossa Senhora nas festividades mais solenes, três anéis que haviam pertencido ao falecido bispo d. Carlos Sabóia Bandeira de Melo, além de um relógio de d. Sartori e R$ 1.200,00.

O delegado Renato de Lima acredita que os assaltantes não sejam da cidade. Segundo ele, o trabalho tem características de ter sido feito por “profissionais” do crime. A polícia não tem nenhuma pista.

A funcionária da cúria Jaqueline Hoffmann disse que dois dos assaltantes entraram na casa, enquanto o outro ficou fora. “Eles estavam bem vestidos”, afirmou. Ao entrar sacaram as armas e anunciaram o assalto. Com exceção dos religiosos, todos tiveram as mãos amarradas para trás antes de serem colocados na sacristia.

Nenhum dos assaltantes estava com o rosto coberto, mas não foram reconhecidos pelos funcionários. Segundo Jaqueline, eles só foram libertados 40 minutos depois, quando uma professora chegou à cúria para uma audiência com o bispo. Ela conversaria sobre as cerimônias de 75 anos de d. Agostinho, a serem comemorados amanhã. A funcionária disse que começou a tossir dentro da sacristia para tentar chamar a atenção de alguém e a professora percebeu. “Foi um grande susto”, afirmou.