Um trem-bala francês equipado com um motor preparado e rodas especiais quebrou hoje o recorde mundial de velocidade para trens convencionais ao atingir uma velocidade de 574,8 quilômetros por hora. O comboio preto e cromado com três vagões duplos, batizado como V150, superou por muito o recorde anterior de 515,3 quilômetros por hora, registrado em 1990, também na França. Apesar disso, o recorde de 581 quilômetros por hora, alcançado em 2003 com um trem de levitação magnética (maglev) no Japão, continua vigente.

A façanha ocorreu mais de 200 quilômetros ao leste de Paris numa nova linha férrea entre a capital francesa e Estrasburgo. Durante a viagem na qual o novo recorde foi estabelecido, o V150 fez barulho parecido com o de um avião, provocou faíscas nos trilhos e deixou para trás um rastro de poeira. O empreendimento é uma demonstração da tecnologia que a França pretende vender por bilhões de dólares a países como a China.

O trem acelerou bem mais do que um avião de passageiros no momento da decolagem ou do que um carro de Fórmula 1. Pessoas aglomeraram-se sobre pontes aplaudindo e festejando enquanto o trem passava a toda velocidade por baixo. "Acho que umas 10.000 pessoas gostariam de estar no meu lugar neste momento", disse Eric Pieczac, que conduziu o trem na viagem do recorde. "Isto me deixa feliz. É uma mistura de sentimentos de orgulho e honra conseguir atingir uma velocidade dessas", prosseguiu.

Técnicos que trabalharam no projeto aplaudiram quando o velocímetro assinalou o recorde. Jornalistas puderam viajar a bordo do comboio. Depois de bater o recorde, a velocidade foi reduzida para cerca de 300 quilômetros por hora. Na velocidade de cruzeiro, apesar de alta, o comboio trilhava suavemente seu caminho, numa sensação bem diferente das vibrações da aceleração a mais de 570 quilômetros por hora. Philippe Mellier, presidente da Alston Transportes, construtora do trem, disse antes do teste que o comboio tentaria cravar o recorde mundial absoluto, mas acabou ficando pouco atrás do maglev.