O desembargador auxiliar do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PE) Bartolomeu Bueno, concedeu liminar na noite de sexta-feira proibindo o uso de imagem do presidente Luiz Inácio Lula da Silva no programa eleitoral da Frente Popular de Pernambuco – liderada pelo PSB, cujo candidato ao governo é Eduardo Campos, o ex-ministro da Ciência e Tecnologia do governo petista. O desembargador acatou pedido do candidato ao governo pelo PSL, Rivaldo Soares, e proibiu inclusive trecho do jingle que cita Lula.

A pedido do PSB pernambucano, o presidente do PT, Ricardo Berzoini, enviou, por fax, uma carta assinada pelo presidente da República autorizando a coligação da Frente Popular e o candidato Eduardo Campos "a fazer uso político-eleitoral da sua imagem na campanha eleitoral do partido, de forma impressa ou no programa eleitoral gratuito da TV". A carta será anexada à contestação do PSB no TRE.

O motivo acatado pelo desembargador auxiliar para atender ao pedido do PSL foi a resolução do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que proíbe utilização de imagem de quem não é filiado ao partido ou coligação. O PSB não é oficialmente coligado ao PT.

A representação do Ministério Público Eleitoral – feita pela procuradora regional eleitoral auxiliar Maria do Socorro Paiva – pedindo a suspensão da imagem do presidente nos programas do PFL e PSB ainda não foi julgada. Por isso, enquanto o PSB já não podia usar imagens de Lula na sexta-feira à noite por causa da liminar, o PFL, que integra a União por Pernambuco, estava liberado para mostrar o presidente em solenidade elogiando Jarbas Vasconcelos (PMDB).