Moradores de Copacabana, na zona sul do Rio, foram acordados, na madrugada de hoje, por um tiroteio entre a polícia e traficantes do morro do Pavão-Pavãozinho. O confronto durou pouco mais de meia hora e repetiu-se mais duas vezes, a última, às 8 horas, causando pânico entre pedestres e motoristas que passavam pela rua de acesso ao morro.

Por ordem do tráfico, que perdeu um de seus homens durante a troca de tiros, quase todas as lojas da rua Sá Ferreira permaneceram fechadas durante a manhã. Em uma das vias mais movimentadas do bairro, a cerca de 150 metros da entrada da favela, o campus Copacabana da Universidade Estácio de Sá só abriu as portas por volta do meio-dia.

O tiroteio começou quando cinco traficantes atacaram o Posto de Policiamento Comunitário (PCC), no alto da favela, revelou o comandante do 19º Batalhão (Copacabana), tenente-coronel Celso Nogueira. Os três policiais que estavam no local revidaram, atingindo o traficante Márcio Rodrigues de Souza, de 21 anos. Os bandidos recuaram, mas quando os PMs desceram com o rapaz ferido, foram novamente atacados pelos traficantes. A polícia pediu, então, reforço do Grupamento de Policiamento em Áreas Especiais (Gpae).

Com a chegada dos soldados, novo tiroteio foi iniciado. Amedrontados, motoristas davam marcha à ré nas ruas Sá Ferreira e Raul Pompéia, nas proximidades da entrada da favela.