Brasília – Depois de mais de dois meses em greve, agentes, escrivães e papiloscopistas da Polícia Federal voltaram ao trabalho hoje em todo o país. A decisão foi tomada após a realização de assembléias nos sindicados regionais, ontem. Segundo o presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), Francisco Garisto, à exceção de Sergipe, os sindicatos de todas unidades federativas decidiram pelo retorno às atividades, para não prejudicar a retomada das negociações com o governo federal em torno das reivindicações da categoria.

De acordo com Garisto, o fim da paralisação atende a um pedido do presidente da Câmara, João Paulo Cunha (PT-SP), e de um grupo de senadores, que vão intermediar as negociações com o Executivo. ?Vamos aguardar um prazo, sempre obedecendo à linha que o deputado João Paulo Cunha colocou e se não adiantar nem a interferência do presidente da Câmara e do Senado Federal, aí então teremos de fazer uma nova assembléia para decidir os novos rumos?, disse.

A categoria reivindica o pagamento de salário equivalente à escolaridade de nível superior para os cargos de agente, escrivão e papiloscopista. Segundo o Ministério da Justiça, a concessão do reajuste, da ordem de 85%, traria um impacto anual de R$ 600 milhões na folha de pagamento da União.