Investigações preliminares sobre a explosão que destruiu um prédio de quatro andares ontem no nordeste de Manhattan, na área conhecida como Upper East Side, em Nova York, apontam para uma trama envolvendo divórcio e uma tentativa de suicídio como causas do incidente. A forte explosão, cujas chamas puderam ser vistas em quase toda Manhattan, deixou uma montanha de tijolos, vidro quebrado e pedaços de madeira

Segundo os investigadores, o incidente foi causado por um vazamento de gás que poderia ter sido provocado pelo dono do edifício, um médico que acabara de passar por um difícil divórcio. As autoridades suspeitam que ele pretendia se suicidar. Ao menos 15 pessoas ficaram feridas

Nicholas Bartha, de 66 anos, enviou recentemente um e-mail para sua ex-mulher em que cogitava a hipótese de suicídio, informou um policial próximo às investigações. Ele estava claramente incomodado com o divórcio, cuja divisão de bens aparentemente o obrigaria a vender o prédio, avaliado em US$ 5 milhões

Em um trecho do e-mail, Bartha se dirige diretamente a ex-mulher: "Quando você ler estas linhas, sua vida terá mudado para sempre. Você merece. De caçadora de tesouros, você se transformará em uma caçadora de cinzas e lixo.

E as evidências de que a explosão seria uma vingança contra a mulher continuam: "Você sempre quis que eu vendesse o imóvel. Eu sempre disse só o deixaria morto. Você me ridicularizou. Você deveria ter me levado a sério.

Entre os feridos estão cinco civis e dez bombeiros. De acordo com o chefe dos bombeiros, Nicholas Scoppetta, Bartha foi retirado do meio dos escombros após falar por telefone com as autoridades. Ele e um transeunte tiveram ferimentos graves. As outras vítimas passam bem