O Instituto de Tecnologia do Paraná – Tecpar apresenta nessa segunda-feira (24) o Serviço Brasileiro de Respostas Técnicas (SBRT), um sistema desenvolvido especialmente para o micro e pequeno empreendedor que não possui recursos para investir em uma consultoria mais especializada.

"Um sistema de informações tecnológicas como o SBRT tem muita importância para favorecer o aumento da competitividade das empresas", afirma o presidente do Tecpar, Mariano de Matos Macedo "É um instrumento para que as empresas possam se modernizar tecnologicamente, afetando diretamente o processo de produção."

Iniciativas como essa, acrescenta Macedo, vêm ganhando prioridade sendo apoiadas no âmbito da ciência e tecnologia, para permitir maior apoio a empreendedores que não teriam outra maneira de investir em novos conhecimentos.

O objetivo do serviço é apoiar as micro e pequenas empresas de todo o país que têm dúvidas relacionadas à fabricação, melhoria de produtos, matéria-prima, fornecedores e outros temas.

Rede

A operação é realizada por uma rede nacional de parceiros, interligando, além do Tecpar, o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial, Departamento Regional do Rio Grande do Sul (Senai/RS), Sebrae, USP/Disque-Tecnologia, Universidade de Brasília (UnB/CDT), Fundação Centro Tecnológico de Minas Gerais (Cetec), Rede de Tecnologia do Rio de Janeiro (Redetec) e a Rede de Tecnologia da Bahia (Retec/BA), com apoio do Ministério da Ciência e Tecnologia/Programa TIB/CNPq, de onde saíram mais de R$ 2 milhões em recursos para a implantação.

Solução gratuita

Os empreendedores interessados podem se cadastrar no site (http://sbrt.ibict.br), preencher um formulário e fazer uma solicitação de baixa complexidade. Também podem se comunicar por telefone com um dos sete postos físicos espalhados no País.

As perguntas são distribuídas internamente para cada instituto parceiro, de acordo com a posição geográfica. Se preferir, o empreendedor também poderá fazer sua pergunta diretamente ao instituto parceiro. Cada questionamento é analisado por um comitê técnico.

As respostas são encaminhadas ao cliente e depois publicadas na internet, onde ficam armazenadas em um banco de dados. O serviço é gratuito e a meta é que o empreendedor receba a solução em até oito dias.

"Esse serviço vem em boa hora e complementa o esforço do Governo do Estado em disponibilizar à sociedade as informações da produção de ciência e tecnologia nas universidades e institutos de pesquisa do Estado do Paraná,specialmente para os segmentos de pequenas e micro empresas, que têm um caminho mais árduo a percorrer para a incorporação de tecnologias", explica o secretário da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Aldair Rizzi.
"Vai permitir também o passo adiante na ação do Governo do Estado em trazer benefícios e orientações de política pública para esse segmento de empresas que deve ser visto também com capacidade de competitividade em inserção no mercado de uma forma mais eficiente".