O ministro Marco Aurélio, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou o pedido de quebra de sigilo bancário de Henrique Meirelles, presidente do Banco Central (BC). O pedido havia sido feito pela Procuradoria Geral da República.

Em sua decisão, Marco Aurélio justifica que ? ao primeiro pedido de quebra de sigilo em junho deste ano ? Meirelles encaminhou seus dados bancários ao STF. Os dados foram reencaminhados ao procurador geral da república Cláudio Fonteles.

No entanto, ministro Marco Aurélio alega que Fonteles refez o pedido de quebra, sem avaliar se os dados já enviados pelo presidente do BC são suficientes. Marco Aurélio ressaltou, em sua decisão, que o sigilo bancário é a regra, somente devendo ser afastado em caso de necessidade absoluta.