A Sub-Relatoria de Fundos de Pensão da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) dos Correios encerrou formalmente hoje (10) seus trabalhos. O sub-relator, deputado Antonio Carlos Magalhães Neto (PFL-BA), informou que pretende apresentar seu parecer final ao relator da comissão, deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR), na próxima segunda-feira (13). A apresentação do relatório global da comissão está prevista para o próximo dia 21.

Antonio Carlos Magalhães Neto não quis repassar à imprensa qualquer informação contida no parecer final, mas disse que o documento será "muito bem feito" e que todas as conclusões se embasarão em provas documentais e/ou testemunhais. "Em função de um compromisso que assumi com o presidente e o relator da CPMI dos Correios, vou manter em reserva todos os detalhes do nosso relatório até que seja finalmente aprovado pelo relator da comissão, o deputado Osmar Serraglio".

O sub-relator adiantou, no entanto, que seu parecer incluirá uma lista de indiciamentos. "Afinal de contas, foram cinco meses de trabalhos na Sub-Relatoria de Fundos de Pensão, uma investigação exaustiva. Temos dados e depoimentos suficientes para caracterizar a responsabilidade de muitas pessoas. E isso estará presente no texto", destacou.

Treze fundos de pensão foram objeto de investigação da Sub-Relatoria de Antônio Carlos Magalhães Neto por terem apresentado indícios de irregularidades. Entre esses fundos, estão o Núcleos, da Eletronuclear; a Petros, da Petrobras; e a Funcef, da Caixa Econômica Federal.

Para finalizar os trabalhos, a CPMI dos Correios ouviu hoje o depoimento de Marcelo Sereno, ex-secretário de Comunicação do Partido dos Trabalhadores e ex-assessor da Casa Civil; e fez uma acareação entre três ex-dirigentes do Núcleos (fundo de pensão dos funcionários da Eletronuclear), um dos que estão sendo investigados pela comissão.