O Programa Nacional de Biodiesel terá a primeira baixa nas próximas semanas. O Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) prepara o cancelamento do Selo Combustível Social da produtora de biodiesel Soyminas, empresa com sede em Cássia, na região do Triângulo Mineiro. O Selo Social é o mecanismo adotado pelo governo para que parte da renda movimentada na produção de biodiesel passe pela agricultura familiar. O selo também define metas de compra de matéria-prima nas cinco regiões do País.

A Soyminas, inaugurada em março de 2005 pelo presidente Lula, é a primeira produtora de biodiesel a descumprir o contrato com a Petrobras. A empresa negociou no primeiro leilão organizado pela Agência Nacional do Petróleo (ANP) a venda de 8,7 milhões de litros de biodiesel com entrega física prevista para fevereiro. Segundo a ANP, o problema da Soyminas foi a qualidade do produto. Procurada pela reportagem, a empresa não se pronunciou.

"Já pedimos informações e não há sinal de vida. Já preparamos um parecer a partir do qual será tirado o selo social da empresa. É o primeiro caso no programa, infelizmente", afirma o coordenador do Programa de Produção e Uso do Biodiesel no MDA, Arnoldo Campos.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo