Rodada foi muito ruim para
os times paranaenses.

“Fui num pagode acabou a comida; Acabou a bebida acabou a canja; Sobrou pra mim o bagaço da laranja; Sobrou pra mim o bagaço da laranja…”. A música, um grande sucesso cantado pela sambista Jovelina Pérola Negra, refletiu bem como foi a 14.ª rodada do Brasileiro. Nossos times ficaram devendo – e muito – uma boa apresentação, ficando apenas com o “bagaço da laranja”.

Em três jogos, somamos apenas um ponto, que veio num empate sem graça de 0 a 0 entre Atlético e Palmeiras. Em Caxias do Sul, o Coxa voltou a apresentar um futebol bem burocrártico e perdeu para o Juventude, que vinha de duas goleadas seguidas. Pior para o Coxa, que está bem perto da famigerada zona de rebaixamento.

O Paraná foi a São Paulo e se deu mal. O tricolor foi dominado pelo Corinthians o jogo inteiro. No primeiro tempo, o Tricolor da Vila deu apenas um chute a gol. Mesmo com a superioridade, o time paranaense consegui segurar bem as investidas do alvinegro paulista, até que Beto, aos 18 minutos do segundo tempo, fez pênalti em Gil. Rogério cobrou e fez o único gol da noite.

Jogo feio no Sul

Juventude e Coritiba protagonizaram uma partida feia em Caxias do Sul. Pior para torcida que assistiu o jogo e pior ainda para bola, que sofreu com os chutões desferidos pelos dois times.

O primeiro tempo passou praticamente incólume, pois os dois times chutaram a gol em pouquíssimas vezes. O melhor momento do Coxa nesse primeiro tempo foi num chute do atacante Tuta, que o goleiro Eduardo Martini fez uma boa defesa.

Já na etapa complementar, o Coxa até que tentou demonstrar um bom futebol, mas infelizmente ficou só na tentatvia. Os donos da casa partiram logo pra cima do alviverde paranaense, que foi se defendendo como podia. O Coritiba logo tratou de equilibrar mais a partida, chegando a dominá-la. Entretanto, o Coxa esbarrava na falta de qualidade de seus jogadores, que foram perdendo gols atrás de gols.

O castigo veio aos 30 minutos. Numa falta cobrada por Donizete Amorim, Leonardo Manzi, livre de marcação, fez de cabeça o único gol da fria tarde gaúcha, dando números finais da partida. Com o resultado, o Coritiba segue próximo da zona de rebaixamento.

Partida fria na Arena da Baixada

Tinha tudo para ser um jogo quente. Pena que não foi. Atlético e Palmeiras ficaram devendo uma apresentação melhor e ficaram apenas num empate sem gols, agora à noite em Curitiba.

A partida começou bem. Os dois times, que freqüentam a parte de cima da tabela, começaram o jogo num ritmo frenético, dando trabalho para os goleiros Diego e Sérgio, respectivamente, do Atlético e do Palmeiras.

Entretanto, o que começou quente acabou ficando frio. Os dois times começaram a cadenciar muito a partida, concentrando as jogadas no meio de campo. O resultado disso? O jogo começou a ficar mais truncado, dificultando o passe de bola.

O Atlético voltou para o segundo tempo disposto a “matar” o Palmeiras, mas a afobação era tanta que começou a atrapalhar o time, que errou passes em demasia. O Palmeiras começou a comandar mais a partida e, em pelo menos três oportunidades, tiveram a chance de abrir o placar. Entretanto, o time paulista esbarrou na falta de pontaria de seus jogadores.

O jogo seguiu equilibrado até o final e o empate acabou sendo o resultado mais justo pelo futebol apresentado pelas duas equipes.