Aumentou para quatro o número de mortes em decorrência da explosão do pré-evaporador na Usina Vale do Rosário, em Morro Agudo (SP), na segunda-feira. Todos tiveram queimaduras provocadas pelo caldo de cana, que chega a 120 graus no equipamento. Ontem à noite morreram Roseli Ribeiro Ataliba, de 43 anos, faxineira da usina, e Fernando Vilela Rosa, de 46 anos, que estavam hospitalizados em Ribeirão Preto com queimaduras graves

Na segunda-feira, logo após o acidente, morreu o operário Manoel Antônio Tavares, de 61 anos. A outra vítima fatal foi José Devanir da Silva, de 54 anos, que morreu na noite de segunda-feira no Hospital das Clínicas em Ribeirão Preto.

Doze feridos no acidente continuam internados: nove em Ribeirão Preto, um em Orlândia, um em Catanduva e outro em Bauru. Outros sete feridos foram atendidos e liberados.

O acidente está sendo apurado por peritos da cidade de Ituverava, que foram à usina e devem se reunir com integrantes do Instituto de Criminalística do Estado de São Paulo. Já a Polícia Civil deve receber, ainda esta semana, os depoimentos de testemunhas no inquérito aberto.

A usina Moema, de Orindiúva (SP), anunciou hoje o cancelamento do evento de entrega da certificação ISO 14001, pela ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, à Agrotur, subsidiária da indústria sucroalcooleira.

O evento estava marcado para amanhã e, segundo nota da diretoria da usina, "o cancelamento se dá em homenagem às vítimas do acidente ocorrido nesta segunda-feira na Cia Açucareira Vale do Rosário".