O Sindicato dos Bancários de Curitiba realizou hoje a segunda manifestação de uma série de protestos contra problemas e irregularidades que afirmam estar ocorrendo no banco HSBC. O local escolhido para o manifesto foi o Centro Administrativo do banco, situado no Vila Hauer. Os diretores  do Sindicato estenderam faixas na rua, distribuíram folhetos aos bancários e clientes e vestiram coletes vermelhos para caracterizar o protesto.

Segundo a presidente do Sindicato, Marisa Stédile, o número de queixas de funcionários que se dizem vítimas de assédio moral e demissões em razão a lesões por esforços repetitivos ( LER) aumentou significativamente neste mês. ? Os funcionários afirmam que são cobrados o dia inteiro a cumprir metas no banco e para isso são submetidos a humilhações, xingamentos e gritos de chefes e gerentes. Já em relação ao LER muitos adquirem a doença na própria empresa e depois de diagnosticada eles são demitidos, é um total desrespeito a legislação ?, acrescenta Marisa.

Para ela, as manifestações não tem data definida para acabar. ? Acredito que só vamos parar com os protestos quando diminuir bastante o número de  reclamações?, afirma.

HSBC
Segundo a assessoria de imprensa do banco, as acusações do Sindicato não fazem sentido, pois não existe assédio moral dentro do banco contra funcionários. Já as acusações em relação as demissões devido ao LER, a assessoria responde que a instituição financeira possui programas constantes de prevenção e tratamento de pessoas doentes.