O vice-presidente da Câmara, José Thomaz Nonô (PFL-AL), deve presidir a sessão que vota o processo de cassação do deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ).

"Para que a sessão transcorra normalmente e não volte a ser adiada em função desse novo fato que surgiu", o presidente da Câmara dos Deputados, Severino Cavalcanti (PP-PE), deve passar a tarde em casa, nesta quarta-feira, disse o deputado José Janene (PP-PR). Segundo ele, o deputado Severino está muito abatido e vai divulgar sua defesa até o final da tarde, após nova reunião com os líderes.

O plenário da Câmara dos Deputados aprecia nesta quarta, a partir das 16h, o pedido de cassação do deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ) por quebra de decoro parlamentar. A votação será secreta e por meio de cédulas. Caso o pedido seja aceito por 257 dos 513 deputados, Jefferson perderá os direitos políticos por oito anos.

A partir de um pedido do presidente do PL, o ex-deputado Valdemar da Costa Neto, o Conselho de Ética da Câmara instaurou o processo de cassação. Em sua defesa, o deputado não apresentou provas do esquema do mensalão (pagamento de mesada a parlamentares em troca de apoio na votação de projetos) por ele denunciado e disse que recebeu R$ 4 milhões do Partido dos Trabalhadores, o que constitui crime eleitoral.