Cerca de 800 servidores públicos federais fazem neste momento uma marcha na Esplanada dos Ministérios em direção ao Palácio do Planalto. Eles pretendem pedir uma audiência com a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff.

De acordo com o presidente da Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal, Josemilton Costa, os manifestantes querem que a ministra interceda junto ao ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, Paulo Bernardo, em favor da reabertura das negociações sobre o reajuste de várias categorias.

Segundo Costa Paulo Bernardo suspendeu as negociações com os servidores em greve. "As medidas provisórias assinadas pelo presidente Lula não atendem aos setores em greve", afirmou Costa.

Nesta semana, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva editou a Medida Provisória 295, que concede aumento salarial a seis categorias de servidores públicos federais: funcionários do Banco Central, da área de ciência e tecnologia, fiscais federais agropecuários e apoio à fiscalização agropecuária, professores do ensino superior, médio e fundamental da rede pública e servidores ativos do Departamento Nacional de Auditoria do Sistema Único de Saúde (Denasus), ligado ao Ministério da Saúde.

Segundo Costa a manifestação servirá para dar destaque às reivindicações de outras categorias que não foram beneficiadas com aumento de salários. Estão em greve desde março os servidores do Plano de Classificação de Cargos do Ministério da Agricultura, da Fundação Nacional do Índio (Funai) e do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.

Em maio, aderiram ao movimento servidores do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama).