Os servidores da Comissão Nacional de Energia Nuclear (Cnen) farão, a partir de amanhã (12), greve de 48 horas, por reajuste salarial. A decisão foi tomada em assembléias gerais realizadas nos estados do Rio, São Paulo e Minas Gerais, quando a categoria decidiu aderir à paralisação proposta pelo Fórum Sindical de Ciência e Tecnologia, com o apoio dos Sindicatos dos Servidores Federais e da Condsef.

A paralisação é uma forma de protesto contra a decisão do governo federal pelo ?reajuste zero? para as carreiras de ciência e tecnologia, previsto na proposta de reajuste salarial para os servidores.

Segundo a Associação dos Servidores da Comissão Nacional de Energia Nuclear, além dos servidores da sede da Cnen, em Botafogo, estarão parados diversos institutos ligados à autarquia, como os de Radioproteção e Dosimetria (IRD), na Barra da Tijuca; de Engenharia Nuclear (IEN), na Ilha do Fundão, e de Pesquisas Energéticas e Nucleares (Ipen), em São Paulo, e o Centro de Desenvolvimento da Tecnologia Nuclear (CDTN), em Belo Horizonte, e outras instituições integrantes das carreiras de ciência e tecnologia.

A proposta do Fórum de C&T, que reúne as associações e núcleos sindicais da área de ciência e tecnologia, levada para deliberação dos servidores nas assembléias, foi de paralisação progressiva iniciando, na primeira semana, com greve de 48 horas a partir de amanhã.